E,


por meio desta carta informar que o senhor acaba de ganhar um coração, daqueles que tem todas as funções essenciais, tais como bater, bombear, e, principalmente, amar. Ganhar um destes hoje em dia não é fácil, visto a falta de sentimento do homem moderno; por isso peço que cuide muito bem deste coração que lhe é enviado em anexo, dando-o todo o aparato preciso para que possa continuar vivo, o que não é tarefa fácil. Peço também que, caso não haja interesse de V.S. ficar com ele, não o menospreze, ou jogue pra um dos cantos, apenas dê um pouco de atenção, nem que seja uma vez na semana, ou a cada 15 dias, para que tal coração não morra, ele já não me pertence mais, e nem a ninguém, além de você. Ele é um ser, não um objeto. Ele tem necessidades como qualquer outro ser.

Peço que fique com ele, e quem sabe um dia, você começa a gostar dele como ele tanto gosta de você.

Atenciosamente ..

Um comentário:

gabriela m. disse...

E, que perfeito, Jean.
Cada palavra usada se encaixou perfeitamente.
Senti inveja literária aqui.