.

Talvez eu queira apenas mais um minuto. Pulando e gritando algo que me agrade, sem ter que me preocupar com o amanhã. Talvez eu não tenha valorizado tanto a vida como deveria, e no fim, perdemos muito tempo com isso. Disse poucos ‘te amo’ e muitos ‘amanhã’. Perdi incontáveis coisas fazendo isso. Deixando o amanhã comandar, deixando o hoje se esvair fácil como água num ralo. Tenho pensado que talvez eu não seja a pessoa que eu queria ser hoje, eu fiz coisas das quais me arrependo; pensei e disse coisas que são inverdades. Minhas verdades, por vezes são inverdades. Meus conceitos serão sempre meus, e tenho que ter consciência que eles estão (em sua maioria) equivocados.

Eu tenho tentando manter minha mente aberta. Eu tenho tentado manter meus olhos abertos, meus braços estirados. Eu tenho tentando aproveitar o máximo disso. E tirar o máximo disso.


(quando a morte de alguém tão querido chega, de surpresa, você começa a rever alguns de seus dogmas, e percebe que tudo isso é uma mera passagem. você se dá conta de tantas coisas, que fica difícil saber qual o próximo passo, dentro de tantos tão precisos e preciosos.)

3 comentários:

Kamilla Rodrigues disse...

devemos viver cada dia como se não houvesse amanhã. Já dizia Legião.
Te amo. =*

gabs. disse...

dá medo, né?
:(

Jailton Melo disse...

e nunca vivemos do jeito que realmente gostaríamos que fosse... é uma utopia, a felicidade!