BeCool!

"Seja Legal!" era o que tinha escrito em uma plaqueta de um senhor na rua, e que me chamou a atenção. Parecia que ele queria falar comigo, parecia que aquela mensagem era pra mim, como algo divino. Mas naquele momento eu nem me importei, o encarei e quando vi que ele me encarava profundamente, como se visse minha alma, desviei meu olhar meio perplexo, pensando naquela cena, contudo logo me esvaio da cabeça.
Eu não era nem um pouco comunicativo, nem um pouco simpático, e não fazia questão disso. Me chamavam no meu trabalho de "Simpático" e eu não me importava nem um pouco com essa ironia dos meus colegas. E os meus amigos acostumaram - se com meu jeito. Fechado. Quieto. Seco e Sarcástico. E era "feliz" assim. No outro dia, ao chegar no trabalho estava o mesmo senhor lá a me encarar com as mesma plaquinha "Seja Legal!" e me encarou novamente. Eu me sentia perseguido, com aquele homem, mas não lhe dei muita atenção novamente, afinal só o vi dois dias, não era nada, apenas coincidência.
E isso aconteceu todos os dias durante 1 mês. Até que não agüentara mais aquilo, aquela "perseguição" daquele homem a me olhar, a me encaram, como se soubesse da minha vida. Quando na minha saída do expediente fui onde ele estava.
- O que o Sr. faz aqui todos os dias?
Ele apenas me mostrava a placa.
- Responda, O que o Sr. faz aqui todos os dias!?
Ele apenas me mostrava a placa.
- Ta o Sr. não fala! Beleza, e se eu tomar essa placa do Sr!? O que acontece? - Eu estava esperando com raiva, a ponto de bater nele.
Ele apenas me mostrava à placa.
- Não estou de brincadeira Sr, por favor, o Sr está me perseguindo!? É isso!? Quer dinheiro, comida, roupas!? Quer ajuda? - O encarava com medo, ele tinha um olhar penetrante, que parecia que via sua alma, sua essencial.
Ele apenas me mostrava à placa e seus dizerem pareciam fazer sentido.
- "Seja Legal!" isso é uma mensagem pra mim!? Pra que eu comece a ser legal? É isso? - perguntei a ele o encarado também, já não estava nervoso.
Ele confirmou.
- Mas eu... É eu não sou o cara mais legal da face da terra. - Tive que concordar. Afinal eu não era e acho que nunca fui legal.
Ele agora sorria.
- Eu võ tentar ser o mais legal, com todos, mais não é uma promessa. E.. Quem é você? - Continuava curioso com quem seria aquele homem, ele não dizia nada.
Ele sorria, e foi embora.
Dias se passaram e fui ficando mais simpático, mais confiável, mas divertido. Comecei dali a viver a vida de uma forma que jamais havia pensado que poderia ser tão boa. Comecei a namorar, brincar, gargalhar, e meu apelido no escritório era "Miss Simpático" e eu me divertia com isso. Comecei a ser mais legal.
Um ano se passou desde a última vista daquele senhor. E em um dia de céu claro, sol e muito ar , o vi novamente com a mesma plaquinha, o olhei, sorri, peguei um papelão na rua e escrevi o seguinte dizer "Acredite: Seja Legal!"

2 comentários:

Gabriella Borges disse...

Seja legal (y)

Ps: Mas tu é um dos caras mais legais que conheço :D

DL ' disse...

acho legal o que tu escreve ;DD