.

Bati a cabeça em algumas coisas penduradas no teto, e corri. Sai em disparada sem saber pra onde estava indo, só queria mesmo era sair dali e consegui. Por mais que eu não quisesse encarar o fato de ter tudo chegado ao fim, os sinais que me foram dados haviam sido claros aos olhos de qualquer um. Não de um ser apaixonado.

Chovia como há tempos não ocorria. Acho que era a maneira dos anjos de mostrarem sua tristeza. Era, também, uma forma de esconder minhas lágrimas, e por isso não ligava se alguém percebera ou não o que estava acontecendo. Parei em uma praça, sentei-me sozinho e contemplei a paisagem que se formara em menos de uma hora. Aquele céu cinzento-quase-que-um-negro queria dizer alguma coisa.

Um comentário:

Fernanda Hauptmann disse...

Tudo sempre quer dizer alguma coisa!