sem título.

Eu poderia ter cortado relações, mas segui adiante. Havia um sinal que me dizia "poderia dar certo", algo me dizia pra persistir e seguir em frente. Assim o fiz. O que mais dói é saber que o acontecimento a seguir mudaria tudo.

Eu era apenas mais um garoto, com seus 20 anos e muita vontade de ser grande. Ser grande, no meu ponto de vista, não é algo a ser apontado como defeito, mas sim como qualidade. É querer algo mais. Não estar satisfeito com a situação atual, crescer sempre. Alguns não viam assim e me crucificavam, apontavam seus dedos podres pra mim e diziam que estava errado. Por um momento acreditei nisso, e quis mudar. Por uma fração de segundo me vi encurralado, sem saída alguma. Estava disposto a ser outra pessoa.

Foi então que te conheci. Alta, cabelos encaracolados e perfeitamente simétricos, coluna reta, olhos castanhos claros e muita vontade de viver. Esbanjava felicidade pelos seus poros com cheiro de morango. Fascinou-me os olhos a primeira vez que te vi, e me apaixonei quando escutei de ti o primeiro ‘oi’, de meio-de-boca, quase que tímido, com um olhar sincero que me diziam que estava sorrido. Eu logo me apaixonei, sabia que havia encontrado minha alma gêmea (mesmo sem acreditar nelas), decidindo assim te conquistar. Aos poucos, devagar, curtindo cada palavra, cada frase meio sem jeito, cada sorriso, olhar, trejeitos e tiques que eu via. Eu me deslumbrava, eu me encantava ainda mais. Eu não sei, talvez o desejo de te ter pra mim falasse mais alto. Te roubei um beijo que você, de surpresa, não recusou. Eu era o homem mais feliz do mundo.

Passaram-se meses, e nós felizes. Era de dar inveja nossa felicidade. Olho nossas fotos e sinto um aperto no peito. Pergunto-me: “como eu deixei isso tudo?”. Não faço ideia de como responder isso; me corrói a alma, como ácido destruindo tudo à sua frente. Eu fui imaturo, ingênuo. Você me disse pra tomar cuidado, me avisou, e eu não quis dar ouvidos. “Nada, é coisa da sua cabeça, você vai ver.” Quem acabou vendo fui eu, e perdendo.

Eu sei que isso não vai te fazer voltar, nem tão pouco vai te fazer me perdoar. Mais saiba que você vai estar sempre aqui. É um pedaço do meu coração, senão ele inteiro. A melhor coisa que me aconteceu e deixei ir, sair de mim. Um ‘eu te amo’ não vai mudar em nada, mas saiba que quando disse foi verdadeiro. Vou ter que conviver com essa dor por toda a vida. Vou ter que saber que você está nos braços de outros e não mais nos meus. Vou ter minha consciência a me martelar até o dia em que eu morrer. Vou ter que aprender a suportar tua ausência, do meu lado, dizendo que tudo vai ficar bem. Ter que saber que quando eu chegar em casa não terei mais a quem chamar de amor. Vou ter que aprender a viver sem você.

4 comentários:

L. G. Melo - Site Oficial disse...

Amigo
NO WORDS
amei o texto!
ficou PERFEITOOOOOOOOOOOO
\o\o\o\o\o\o\o
Parabens
livro NOW!
*o*
xoxo

Kamilla Rodrigues disse...

coluna reta. Com certeza n sou eu. =P axei lindo o texto. *-*

Yishay disse...

Como sempre vc surpreende com seus textos. Deveria escrever um livro *_*
Amei
xoxo.

gabs. disse...

Coluna reta pra você.

(: